quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Para quem gosta de ler e refletir.

ENROLADA  NO  ‘XALE DA DOIDA’ 
(Por Denise Puppin)

Essa expressão, comum de ser ouvida no interior de Minas Gerais, desvenda o momento em que a pessoa mostra-se confusa, com bastante dificuldade em aceitar ou entender um acontecimento, expressar verbalmente seus sentimentos e, sobretudo manter-se equilibrada diante da circunstância que julga limitante.

A frase é mais usada por mulheres, naturalmente pelo fato delas usarem com mais frequência o acessório. Vale ressaltar que o xale é um ornamento muito antigo, de origem persa e também usado por homens.

Contrapondo a idéia de elegância e charme, estar “Enrolado no Xale da Doida”, remete a imagem de estrangulamento, infelizmente, executada contra si própria.

Aperto no Gogó.
O estado de desordem provoca no indivíduo um forte stress, levando seu organismo a produzir e liberar uma grande quantidade do hormônio adrenalina que, entre outras funções relaxa ou contrai certos grupos musculares, além de outro hormônio chamado cortisol.

A incômoda sensação de ‘nó na garganta’, sentida por muitos que passam por momentos conflitantes, se manifesta como um aperto na parte anterior do pescoço, especificamente na região do pomo de Adão. Essa indisposição é a ação dos músculos constritores que dificulta também o ato de engolir. Geralmente o desconforto é acompanhado de outros sintomas físicos como pressão no peito, palpitação e falta de ar passageira.

Estar “Enrolado no Xale da Doida”, é um mal-estar psicológico e transitório. Embora apresente semelhança com alguns dos sintomas do refluxo gastroesofágico (DRGE), não deve ser confundido com a doença.

Saindo do sufoco.
As constantes decepções e frustrações que conduzem o indivíduo ao sufocamento levam-no à desconfiança e, lamentavelmente o encaminha ao isolamento.

É importante respeitar os próprios sentimentos, todavia, determinado ao afastamento da atual condição. Durante o processo, é benéfico se perguntar: desde quando comecei a acreditar que o que eu penso e sinto é indiferente ou pouco importante para outrem? Que acontecimentos ocorridos me levaram a desacreditar nas boas intenções de alguém? A interpretação dos comportamentos nesse episódio foi-me imposta por outros, ou eu mesma os criei?

Essas sugestões de investigação são úteis para conhecer as representações sobre os medos, ansiedades e dificuldades que estão levando às possíveis confusões e, sobretudo apoiar a saída do estado indesejado.

O círculo vicioso que se instaurou, rompendo o circuito da confiança em si e no semelhante precisa ser urgentemente reparado.

"Gente é pra brilhar".
A frase acima foi sugerida pelo poeta Maiakóvski (1) e, parafraseada pelo compositor e cantor brasileiro Caetano Veloso na canção ‘Gente’(2). Poucos associam esse conselho às palavras ditas por Jesus: “Vós sois sal da Terra e luz do mundo” (3).

Tome para si essas simbólicas, proféticas e eternas palavras do Mestre. Se a vida ou as pessoas o desapontaram, reanime-se conduzindo seu pensamento a patamares mais elevados. Acreditando ser sal, acrescentará sabor ao seu modo de viver. Acreditando ser luz emitirá calor, podendo aquecer os corpos frágeis daqueles que um dia precisaram enrolar-se no ‘Xale da Doida’.

1 - Vladimir Maiakóvski, poeta russo, nasceu em Moscou em 1893. A frase é parte do poema “A Extraordinária Aventura vivida por Vladimir Maiakóvski no Verão na Datcha” extraído do livro Poemas, Maiakoviski, trad. Augusto e Aroldo de Campos, Ed. Perspectiva, 1992.
2 - Caetano Veloso, BICHO, Phonogram (1977)
3 - (Mateus 5,13-14)

Este texto pode ser reproduzido desde que seja creditada a autoria e a fonte de onde o mesmo foi extraído - Lei 9610/98 – Proteção dos direitos  intelectuais - Copyright dP® 2010 (Todos os direitos são reservados)  - Texto registrado no EDA

Denise Puppin é fonoaudióloga (4744 RJ), Professora de Oratória (acadêmica, artística, forense, política, popular e sacra) e Retórica contemporânea; Consultora em Comunicação com ênfase no desenvolvimento do ‘Ser integral’; Consultora de Imagem e Estilo Pessoal; Trainer e Coach de Apresentações, Discursos e Treinamentos; Master Practitioner em PNL - Programação Neurolinguística (Instituto de Berlim/Rio); Especialista em Experiência de Aprendizagem Mediada (Icelp/Rio); Emotologia; Terapeuta no 'método Padovan de Reorganização Neurofuncional'.
Desde 1991, ministra treinamentos e cursos individuais, grupos e empresarial em todo o Brasil.





depuppin@uol.com.br
escoladeoratoria@uol.com.br
http://twitter.com/Denise_Puppin

18 comentários:

  1. Adorei o texto. Ele nos remete a uma sensação de esperança e otimismo, sendo ao mesmo tempo profundo e divertido. Espero os próximos !! Beijos , Isaac

    ResponderExcluir
  2. Que leitura interesante Denise, como voce sabe eu sou peruano, muitas coisas do que voce escreveu foram novas para mim, eu aprendí muito hoje, obrigado pelo fato de compartilhar comigo o texto, Abraço forte!! Raúl

    ResponderExcluir
  3. Querida Denise!
    Posso dizer que esse texto está de fato Super interessante!
    Parabéns!
    Eliana OValle

    ResponderExcluir
  4. Sua sensibilidade e capacidade e expressar é brilhante! Tornar o complexo em simples é uma arte que faz com que o pequeno se torne maior e o quase inatingível seja atingido com profundidade! parabéns amiga. Múcio Morais.

    ResponderExcluir
  5. Caríssima Professora Denise,
    Que texto rico, tanto em conteúdo como na forma! Expondo a importância da autoinvestigação como chave para promovermos novas superações. Mostra também o quanto vc é comprometida com o crescimento outro, nos brindando com o seu melhor sempre.
    Ao lê-lo rememoro uma de suas falas, em sala de aula, que contribuíram para o autoconhecimento e consequente autodesenvolvimento, “- Se observe”.

    Um grande abraço,
    Carmen Pina

    ResponderExcluir
  6. Denise, muito interessante o artigo. Parabéns! Sucesso crescente, querida amiga! Abraços

    ResponderExcluir
  7. Denise,
    Lindo texto, que não me supreendeu, já que sua espiritualidade é visível em todo o seu trabalho profissional.
    Um abraço do ex-aluno, atual colega na transmissão das Técnicas de Oratória e sempre amigo.
    Márlio

    ResponderExcluir
  8. Denise, Parabéns pelos lindos textos com análises interessantes. Valeu! Grande abraço do amigo, Sotero.

    ResponderExcluir
  9. Olá Denise,

    Na correria das atividades do dia a dia, ficamos tão envolvidos com o trabalho que muitas das vezes fica difícil para parar para ler um texto agradável e reflexivo como este seu.
    Dá um aperto no gogó, mas ajuda a sair do sufoco e dar uma freada na adrenalina. Parabéns
    Sérgio Cataldo

    ResponderExcluir
  10. Olá Denise,

    Na correria das atividades do dia a dia, ficamos tão envolvidos com o trabalho que muitas das vezes fica difícil para parar para ler um texto agradável e reflexivo como este seu.
    Dá um aperto no gogó, mas ajuda a sair do sufoco e dar uma freada na adrenalina. Parabéns
    Sérgio Cataldo

    ResponderExcluir
  11. Olá Denise!

    Incrível como vc consegue colocar em palavras o sentimento calado que todos nós já sentimos um dia!
    Com toda sinceridade, muitas felicidades e meus parabéns pela sensibilidade e objetividade!
    Finalizo meu comentário, citando uma frase que gosto muito: "Se você pensa que pode, ou se pensa que não pode, você está certo!". Henry Ford.

    Abraços do Samej.

    ResponderExcluir
  12. Muito bom. Usar uma expressão regional como gatilho para transmitir um ensinamento que transcende a própria expressão é uma habilidade singular.
    Parabéns

    ResponderExcluir
  13. Prezada Professora Denise,
    Fiquei muito feliz em receber o seu e-mail com a sua sugestão da leitura desse texto e a oportunidade de conhecer o seu Blog e me tornar leitora.
    O texto é muito reflexivo. Parabéns!!

    Desejo-lhe muito sucesso, pois a senhora é um ser humano muito especial na minha vida. Verinha

    ResponderExcluir
  14. Não tinha ouvido falar dessa expressão mineira; achei muito interessante o texto. Somos o sal da terra e a luz do mundo! bjs de ex-aluna

    ResponderExcluir
  15. Olá Denise! Gostei muito do seu texto. Parabéns por toda a habilidade que possue em transformar sentimentos em palavras.
    Me avise sempre que tiver novos textos, ok?
    Beijos,
    Valéria Pinheiro

    ResponderExcluir
  16. Oi Denise, adorei este termo que nao conhecia:"enrolado no xale da doida".O "no na garganta" eh assunto para longos papos. Envolve este centro energetico que modula a energia que chega ate nos e que sai de nos, e que portanto envolve controle, e que facilmente gera desequilibrios enormes.
    As aulas de quarta feira comecam as 8 da manha... seria legal se desse p vc vir... bem seguimos...

    ResponderExcluir
  17. VejaBlog
    Seleção dos Melhores Blogs/Sites do Brasil!
    http://www.vejablog.com.br

    Parabéns pelo seu Blog!!!
    [Denise Puppin]

    Você está fazendo parte da maior e melhor
    seleção de Blogs/Sites do País!!!
    - Só Sites e Blogs Premiados -
    Selecionado pela nossa equipe, você está agora entre
    os melhores e mais prestigiados Blogs/Sites do Brasil!

    O seu link encontra-se no item: Blog

    http://www.vejablog.com.br/blog

    - Os links encontram-se rigorosamente
    em ordem alfabética -

    Pegue nosso selo em:
    http://www.vejablog.com.br/selo


    Um forte abraço,
    Dário Dutra

    http://www.vejablog.com.br
    ....................................................................

    ResponderExcluir