quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Para quem tem fé.

Você conhece o Sebastião? 
(Por Denise Puppin)

Sebastião foi um valente e estimado soldado romano que viveu entre 250 e 288 d.C. aproximadamente.  
Nessa época declarar ser seguidor de Jesus, era 'pedir pra morrer'.

Afamado pela competência e êxitos, Sebastião, tornou-se querido dos imperadores Dioclesiano e Maximiliano que confiaram a ele, o comando do exército pretoriano.

Soldados especiais:
Fazia parte da Guarda Pretoriana somente os soldados altamente qualificados. Andavam em grupos, vestidos com uma armadura especial sobre uma malha de ferro trançada, escudo, gládio (espada curta de dois gumes usada para perfuração e não corte), elmo (capacete) e sandálias de couro.

Inicialmente a função da guarda era vigiar as tendas (praetorium), onde os oficiais se abrigavam nas operações militares, depois, designados a proteger a moradia do imperador, tornando-se mais tarde sua guarda pessoal (cohors praetoriae).

Benfeitor:
Sebastião herdou de sua mãe, a força do amor misericordioso e a fé inabalável.
Suas palavras e seu testemunho tinham o poder de converter os corações endurecidos dos perseguidores, tanto quanto confortar os dos cristãos perseguidos, torturados e condenados à morte, motivo pelo qual se tornou conhecido como defensor da Igreja.

O extermínio:
O Imperador não sabia que Sebastião, aquele soldado que tanto admirava, era um cristão. Ao saber, chamou-o em sua presença tentando em vão, fazê-lo renunciar ao cristianismo. Com palavras de sabedoria, Sebastião expôs seu sentimento e as razões que o motivava a seguir a fé cristã. Sentindo-se traído, o imperador julgou-o pelo comportamento brando frente aos prisioneiros cristãos, ordenando imediatamente sua execução.

Sebastião foi levado a um campo, despido, amarrado em uma árvore e submetido a várias flechadas. Considerado morto pelos soldados, foi abandonado ensanguentando no local.

Passava por alí uma mulher chamada Irene, que se compadeceu com o horror da cena e desamarrando aquele homem, percebeu que ainda respirava. Irene levou Sebastião para casa e cuidou dele até sua total recuperação.

A morte:
Recuperado dos ferimentos, Sebastião apresentou-se diante de Dioclesiano, criticando-o e repreendendo-o por suas condutas tiranas. Surpreendendo-se por Sebastião estar vivo e pela ousadia das suas palavras, o Imperador, ordenou novamente sua morte.

Dessa vez, Sebastião seria espancado a pauladas e golpes de bolas de chumbo e seu corpo jogado no esgoto de Roma para jamais ser encontrado. Uma mulher de nome Luciana, encontrou o corpo de Sebastião e colocou-o em uma sepultura.

Mártir:
Uma terrível peste arrasou Roma em meados dos anos 680. Nessa mesma época, os restos mortais de Sebastião estavam sendo transportados para uma basílica construída em honra a ele, pelo Imperador Constantino. Na ocasião a pandemia cessou. Desde então, São Sebastião, ficou conhecido como o protetor contra as pestes, fome e guerra.

Imagem e aparição:
São Sebastião, padroeiro da cidade do Rio de Janeiro, é representado amarrado a uma árvore tendo o corpo atravessado por flechas.

Dizem que na batalha final que expulsou os franceses que ocupavam o Rio, São Sebastião foi visto com uma espada na mão entre os portugueses, mamelucos e índios, lutando contra os franceses calvinistas. 

O dia da batalha coincidiu com o dia do santo, celebrado em 20 de janeiro.
Salve São Sebastião!!

Denise Puppin é fonoaudióloga (4744 RJ), Professora de Oratória (acadêmica, artística, forense, política, popular e sacra) e Retórica contemporânea; Consultora em Comunicação Humana com ênfase no desenvolvimento do "Ser Integral"; Consultora em Imagem e Estilo Pessoal; Trainer e Coach de Apresentações, Discursos e Treinamentos; Master Practitioner em PNL - Programação Neurolinguística (Instituto de Berlim/Rio); Especialista em Experiência de Aprendizagem Mediada (Icelp/Rio) e Emotologia; Terapeuta no 'método Padovan de Reorganização Neuro Funcional'.
Desde 1991, ministra treinamentos e cursos individuais, grupos e empresarial em todo o Brasil.
Este texto pode ser reproduzido desde que seja creditada a autoria e a fonte de onde o mesmo foi extraído.
Lei 9610/98 – Proteção dos direitos intelectuais.
Copyright dP® 2010 (Todos os direitos são reservados)

3 comentários:

  1. Não conhecia a história deste mártir! Muito elucidativo para mim!
    Como sempre, parabéns!
    Samej Spenser.

    ResponderExcluir
  2. Gostei da sua pesquisa sobre a vida deste santo e da forma clara, simples e direta como você a expôs.
    Beijos.
    Luzimar.

    ResponderExcluir
  3. Prezada Denise,
    achei formidável os seus trabalhos.
    Recentemente fiz uma pesquisa sobre o São Sebastião e vejo agora que o seu artigo é muito mais completo e elucidativo.
    Parabéns, com orgulho, minha conterrânea!
    Abs.
    Sérgio A.Filgueiras
    Juiz de Fora(MG)

    ResponderExcluir