sexta-feira, 3 de junho de 2011

Para quem gosta de refletir.

        O PROFISSIONAL DO FUTURO
                   (Por Denise Puppin)

        É sabido que os tempos atuais favorecem a rápida divulgação e o recebimento de informações de todo o tipo. Pessoas trocam ideias e opiniões, ou seja, compartilham seus pensamentos e sentimentos via internet a todo instante. Hoje, comunicação virtual é tão normal e, sempre a consideramos tão admirável, que nem ponderamos que pode danificar as relações humanas. 

Como?                            
Já percebeu que é mais fácil mandar um e-mail do que ter uma conversação face a face? É evidente que muitos diálogos diretos nem sempre são possíveis em virtude da longa distância. Alguns, realmente impossíveis. Fato! O desafio é permanecer vigilante para reconhecer quando a distância não constitui o empecilho e sim, a dificuldade de expressão.

Como identificar?
Quando o indivíduo percebe que a cada dia está falando menos e, quando fala, constrange-se na exposição verbal.
Algo precisa mudar, se por vezes já passou pelo seu pensamento confabulações como, “é melhor eu mandar um e-mail, falar vai dar muito trabalho”, “se eu falar posso me enrolar, é melhor enviar uma mensagem”,  “me faço entender melhor por palavras escritas do que por faladas”, “isso é tão complexo, vou perder muito tempo explicando, pra não complicar, vou enviar um e-mail”  ou, “se eu falasse tão bem como escrevo...”  

Como melhorar?
Desenvolver as habilidades de comunicação deve ser uma das metas do profissional competente. Lembro que, só cria metas aquele que imagina o seu futuro.
Reconhecendo a necessidade e interessando-se por supri-la, valoriza-se o jeito de falar, entendendo, que a forma é tão importante quanto a informação transmitida. Acredite, essa aptidão pode ser aprendida! Basta querer, ter boa vontade em treinar e, ser bem instruído.

O profissional do futuro, é aquele que desfruta com muita habilidade dos recursos da informática, fala vários idiomas e, sobretudo sabe comunicar com clareza o que sente e pensa.
Reconhece a importância da objetividade e sabe ser objetivo. Todavia, distingue os momentos em que deve se colocar usando um pouco mais de palavras, oferecendo com esse gesto, um pouco mais de atenção ao interlocutor.
O profissional do futuro não foge dos relacionamentos interpessoais, pelo contrário, os cultiva. Valoriza e se esforça por criar vínculos de confiança nos relacionamentos, motivo pelo qual investe na sua comunicação, aprendendo a falar e, sobretudo a ouvir. Ouvir com todo o corpo. A estar presente. No lugar em que estiver, ali estará. Inteiro!

É um líder consciente do seu papel.
Independente de saber que a cortesia, a comunicação direta, clara e persuasiva, são pressupostos básicos para ser um líder, o profissional do futuro, tem no seu interior um desejo real de contribuir. Quer fazer o bem porque seu senso de ecologia foi apurado. Aprendeu que faz parte de um sistema, motivo pelo qual, busca ser responsável pelo seu desempenho.

Celebra a vitória.
O profissional do futuro planeja o seu crescimento e alcança os seus ideais porque experimentou erros, acertos e os compreendeu como sinais que indicavam aproximação ou afastamento do seu ideal.  
É grato a todos que contribuíram em sua jornada e, sobretudo agradecido à Deus por Ele ter sido sua iluminada e sensível companhia durante toda a caminhada.
O profissional do futuro tem certeza, de que o seu maior e mais fiel companheiro é O Criador.

Denise Puppin é fonoaudióloga, Professora de Oratória e Retórica contemporânea; Trainer e Coach de Apresentações, Discursos e Treinamentos; Consultora de Imagem e Estilo Pessoal; Master Practitioner em PNL (Instituto de Berlim/Rio), especialista em Experiência de Aprendizagem Mediada (Icelp/Rio), Terapeuta no 'método Padovan de Reorganização Neurofuncional.
 
Desde 1991, ministra treinamentos e cursos individuais, grupos e in company em ‘Comunicação & Oratória’ na cidade do Rio de Janeiro.
 
Este texto pode ser reproduzido desde que seja creditada a autoria e a fonte de onde o mesmo foi extraído.

Lei 9610/98 – Proteção dos direitos intelectuais.
Copyright dP® 2011 (Direitos são reservados)
- Texto registrado no EDA

7 comentários:

  1. Denise , texto espetacularmente verdadeiro! obrigada por compartilhar!
    Vou publicá-lo em meu blog em algumas semanas, com os créditos ao seu e já divulguei no FB!!
    De sua pupila do curso de PNL , com muito carinho e saudade!
    Sandra Portugal
    http://projetandopessoas.blogspot.com//

    ResponderExcluir
  2. Oi Dra Denise,

    Muito bom o texto. È engraçado que assim mesmo que eu me sinti durante muito tempo. Acho muito mais facil enviar mensagens que telefonar ou falar pessoalmente. Só adquiri o hábito de ligar para as pessoas quando comecei a trabalhar com atendimento telefonico. Antes dissso sempre preferia enviar uma mensagem.
    Estou treinando os exercicios de respiração que me passou.
    att,
    Viviane.

    ResponderExcluir
  3. Obrigado pela sugestão de leitura e parabéns pela brilhante colocação. Acredito piamente no poder fala e contato direto com as pessoas.
    Sua colaboração vai ajudar muitas pessoas.
    Vinicius de Resende
    Manhuaçu - MG

    ResponderExcluir
  4. O profissional do futuro tem certeza, de que o seu maior e mais fiel companheiro é O Criador...ESTE ÚLTIMO PARÁGRAFO RESUME CUIDADOSAMENTE "TUDO"...SER UM HOMEM DE BEM HOJE ... PARA SER "O PROFISSIONAL DO FUTURO"... TAREFA QUE REQUER DE NÓS, MUITA ATENÇÃO E DISCERNIMENTO !!!
    MT BOM SEU TEXTO!!! OBG!!!
    BJIM

    ResponderExcluir
  5. O profissional do futuro tem certeza, de que o seu maior e mais fiel companheiro é O Criador...ESTE ÚLTIMO PARÁGRAFO RESUME CUIDADOSAMENTE "TUDO"...SER UM HOMEM DE BEM HOJE ... PARA SER "O PROFISSIONAL DO FUTURO"... TAREFA QUE REQUER DE NÓS, MUITA ATENÇÃO E DISCERNIMENTO !!!
    MT BOM SEU TEXTO!!! OBG!!!
    BJIM

    ResponderExcluir
  6. Paulo Roberto Correa6 de junho de 2011 10:02

    Olá, Denise! O seu texto veio muito bem a calhar com o meu atual momento. Eu nunca gostei de conversar ao telefone, sempre preferi conversar pessoalmente, a dois ou em pequeno grupo, pois, assim, a conversar flui melhor. Mas hoje em dia, com a falta de tempo de muitas pessoas, até me acostumei a responder e-mails. Mas, com certeza, tudo dito e ouvido direto, olho no olho, é bem melhor. Agradeço por ter me enviado seu texto, que ajudou e muito a me impulsionar hoje. Vou te ligar, ainda hoje, para a gente combinar a aula. Grande beijo, mestra!

    ResponderExcluir
  7. Brilhane colocações, me "vi" dentro do texto em diversos trechos, acredito que tenha acontecido o mesmo com muitos. Admiro demais sua excelente percepção. Você arrasa! Um beijinho da Rebequita. (adoro quando vc me chama assim) Rs

    ResponderExcluir