sábado, 16 de março de 2013

Para quem quer falar bem.

Comunicação elegante
(Por Denise Puppin)

Lembre-se de que ninguém é obrigado a saber o significado das palavras de línguas estrangeiras, pois nem todas as pessoas tiveram acesso ou oportunidade ao estudo.
Todavia, se  quiser muito proferi-las enquanto estiver falando, certifique-se que todos do seu grupo  entendem o que você quer dizer com o emprego de tal vocábulo. 

Outra alternativa, é traduzir a palavra estrangeira após o seu pronunciamento. Se escolher essa opção, evite a todo custo dizer “para aqueles que não sabem o que é... eu explico...”.

A atitude pode transmitir no mínimo deselegância e no máximo arrogância. Com certeza você quer evitar tais rótulos, não é?

Há palavras de todo tipo, tamanho, gosto e jeito na língua portuguesa. Certamente encontrará uma que caiba perfeitamente na sua oração.
 
Se por ventura tiver faltando algumas em seu vocabulário particular, recomendo que volte a ler aqueles livros que estão esquecidos na sua estante.
Amplexo : )
Este texto pode ser reproduzido desde que seja creditada a autoria e a fonte de onde o mesmo foi extraído - Lei 9610/98 – Proteção dos direitos  intelectuais - Copyright dP® 2013 (Todos os direitos são reservados)  - Texto registrado no EDA.
Denise Puppin é fonoaudióloga, Professora de Oratória e Retórica contemporânea; Trainer e Coach de Apresentações, Discursos e Treinamentos; Consultora de Imagem e Estilo Pessoal; Master Practitioner em PNL (Instituto de Berlim/Rio), especialista em Experiência de Aprendizagem Mediada (Icelp/Rio), Terapeuta no 'método Padovan de Reorganização Neurofuncional'.   
Desde 1991, ministra treinamentos e cursos individuais, grupos e in company em ‘Comunicação & Oratória’

2 comentários:

  1. Coisinha complicada esse tar de smartphone rsrs

    ResponderExcluir
  2. Não há nada mais deselegante que o pernosticismo.

    ResponderExcluir