terça-feira, 11 de junho de 2013

Para quem ama.



Hoje meu coração está triste, muito triste... uma tristeza tão grande que fazem os meus olhos serem só goteira...

 Pai, você foi o pai perfeito pra mim. Todos os valores que trago comigo aprendi com você: honestidade, retidão de caráter, boa vontade, disposição, apreço a tudo o que é vivo, respeito ao que se come e, acima de tudo valor da palavra dita. 

Pai, quantas vezes me pergunto por que escolhi trabalhar como professora de oratória, uma profissão que requer habilidades, que as muitas vezes acredito que não tenho... mas é que eu sinto um desejo enorme de ensinar às  pessoas o que você sempre demonstrou em gestos e ações: a palavra falada tem valor. Além disso, minha memória é rica das lembranças da mamãe dando aula para adultos que não sabiam ler nem escrever... é... a dona Lydia também fez bem a muita gente... 

Pai, você sabe que meu filho leva o seu nome... foi a minha forma de dizer-lhe 'muito obrigada por ter me dado a vida’... é a minha eterna homenagem e gratidão à você... Pai, minha missão é ensinar ao Antonio tudo o que aprendi com você... eu prometo conseguir... Vou honrar tudo o que você e minha mãe me ensinaram: fazer o bem, não importa a quem. 

Pai, você foi encontrar com minha mãe no Céu. Eu sei que aí na eternidade as almas não são aprisionadas em corpos como aqui na Terra, mas dá um jeito de abraça-la e dizer-lhe que eu sinto muita saudades dela... e agora vou sentir saudade de você também. Pai, mãe, eu sempre vou amar vocês... até um dia... 
Sua filha número 6, 
Denise 
(sua Dize, 11-06-2013).

Um comentário:

  1. Adorei o texto Denise, que bom vc poder expressar assim.
    Por incrível que pareça, na hora da dor tudo fica mais bonito.
    Isto é arte.

    Um grande abraço;
    Sirlei

    ResponderExcluir